Barreira das Lágrimas

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Será que eu já posso desabar agora? Me despir de toda essa imagem forte que construí e sem medo deixar rolar em meu rosto uma lágrima. E por que não um monte delas?
Me pergunto se eu simplesmente deixasse transparecer a tristeza dentro de mim, deixasse transparecer meu cansaço, se nesse momento ainda teria alguém disposto a aparecer do meu lado, me dar a mão e me ajudar a levantar.
Penso também nas responsabilidades que me foram impostas, resultado da imagem que criei. As pessoas simplesmente pensaram que se eu não falo de meus problemas é sinal de que eu não os tenho ou que não são tão relevantes. Por isso, foram buscando apoio em mim e dividindo comigo seus problemas. Que tipo de pessoa eu seria se simplesmente desconsiderasse tal fato?
Eu, eu mesmo, pessoas, imagem, responsabilidade, amizades. Sei que nenhum desses motivos é suficiente, mas juntos, em mim, formam uma barreira que impedem minhas lágrimas de cair.
Ah! Mas como que queria no mínimo poder derramar uma lágrima.

P.S.1.: Se você gosta de conhecer pessoas interessantes e com coisas relevantes a se dizer, passa no blog de minha amiga: Larissa Nayane
P.S.2.: Recado pra meus pais ou amigos achegados(caso leiam esse texto), não se preocupem ou desesperem é só um texto, nada mais!

4 comentários:

Eduardo Montanari disse...

Pois é Lévs. Li nesse pequeno texto muito do que conversamos maravilhosamente nessa sexta-feira. É por isso que eu digo, não ignore seus problemas, suas dores, frustrações e busquemos os caminhos que nos fazem felizes.
Um abração meu amigo.

Lucas Neves disse...

Talvez você não tenha encontrado a pessoa certa para ter com quem desabafar, com quem possa compartilhar segredos e ter um amparo mútuo.
Eu também sou assim, não gosto de expressar-me muito para com aqueles distantes, quase estranhos, que vejo todos os dias. Assim como não me faço obrigado a ouvir os problemas alheios. Ouço somente daqueles que realmente importam-me. Tempo é tesouro.
Mas tenho onde descarregar meus sentimentos e amparar-me. É bom que encontre sua arrima.

Um forte abraço,
Lucas Neves.

Sabrina gomes disse...

Fiz uma postagem exatamente parecida com a sua... as vezes as pessoas não se importam em saber se estamos com problemas, nao se oferecem para nos ajudar, se importar é estendder a mao, se as pessoas se importassem mais talves teriamos menas lagrimas!

Seguindo, passa lá
www.sabrinnagomes.blogspot.com
aceita parceria?

Srta. Plácido disse...

rs! Poxa, Lév's é chega a ser estranho como me identifico com seus textos, moço! Sério, mesmo! Neste sábado desabafei com um amigo sobre isso. Exatamente assim! Rascunhei mas não postei...
Enfim, amei! Esse espaço mts vezes é como um espalho meu.
Bjo, te curto!(embora talvez não pareça).

 
diHITT - Notícias