1 mês

terça-feira, 24 de maio de 2011

Começo esse post de retorno relembrando uma propaganda que passava há um tempo atrás muito interessante falando sobre a forma em que as pessoas em diferentes situações encaram o tempo, você provavelmente já deve ter visto. Partindo desse princípio da diferença em se encarar o tempo, pergunto: Pra você, quanto vale 1 mês?
Eu digo que meus últimos 30 dias foram sem igual, não acompanhei a morte do Osama, muito menos a do Lacraia, não estive presente na pane do Blogger, aliás eu nem estive presente no mundo blogueiro.
Isso e muito mais aconteceu nesse mês, mas pra mim nada disso foi importante diante do que aconteceu comigo. Comecei finalmente a aprender a falar, a ser eu mesmo, a ter voz própria, comecei a ver que tenho mais força do que penso e a enxergar cada acontecimento como uma nova experiência e um novo aprendizado. Não virei o super maduro, continuo praticamente o mesmo, mas de alguma forma diferente.
Então eu repito a pergunta: Pra você quanto vale 1 mês? Porque pra mim 1 mês fez toda a diferença!

P.S.1.: Só pedir desculpa aos amigos, parceiros e afins pelo sumiço e em breve estarei visitando e comentando novamente seu blog.

3 comentários:

Eduardo Montanari disse...

Posso dizer que meu último mês valeu por anos perdidos. Muitas das coisas que jamais experimentei, idéias, sentimentos, coisas que deixei de fazer durante anos da juventude (como se eu ainda não fosse jovem, hehehe), vivenciei nesse último mês.
Como eu costumo dizer, acho que essa sensação de "aproveitar" as nossas experiências vai de como você as encara. Muita gente passa não um mês, mas um ano, as vezes anos sentindo que nada de novo e diferente lhes acontece, mas isso é porque elas simplesmente ignoram, se recusam a enxergar. O fato é que nessa vida nós nunca temos o que queremos, mas sim o que precisamos e, por causa disso, muitas vezes negamos coisas que estão bem na nossa frente, a espera de que aconteça o que nós egoísticamente desejamos. Se passarmos a encarar algumas coisas que nos acontecem, não só pelo lado negativo, mas pelo positivo também, aprendemos a tirar proveito de cada experiência. Sofremos, choramos, mas ao final, quando acalmamos o nosso coração percebemos o quanto aprendemos com nossas imperfeições, falhas. E o que pensamos muitas vezes ter sido fraqueza foi apenas um uso moderado da força.
Um forte abraço meu amigo. UM ABRAÇO! Tudo de bom.

sobrefatalismos disse...

Pra mim, um mês avança rápido. E 2012 tá chegando.

fábio siebra disse...

Olá Levi

Um mês dependendo dos objetivos da pessoa pode representar muito assim como foi o seu caso.
Cara muito bom saber que agora você está sendo mais você (já passei por essa fase).

Um Abraço

 
diHITT - Notícias